SIGA A PREFEITURA:

Comunidades rurais de Chã Grande serão beneficiadas com a construção de 200 cisternas

Apesar de ser um município com abundância de água em algumas comunidades, em outras, a situação é bem diferente. Isso acontece em virtude da transição entre zona da mata e agreste, presente no município. Para garantir a oportunidade de todos em ter acesso a água potável, comunidades rurais que sentem a dificuldade no armazenamento do líquido precioso, serão beneficiadas com a construção de 200 cisternas.

O projeto foi trazido a Chã Grande através de uma parceria entre a administração municipal, a Associação Chãgrandense de Assistência Social (ASCA) e o Pró-Rural. Nesta segunda-feira (5), o prefeito Diogo Alexandre fez a assinatura da ordem de serviço, e as obras devem iniciar após o carnaval, beneficiando 200 famílias do município.

Uma das famílias contempladas com o programa é a do agricultor Naldo Rodrigues (42), residente em Lajedo Grande, zona rural de Chã Grande. A construção da cisterna proporcionará uma economia nas despesas da casa. “A falta de água é muito ruim. Agora, com essas cisternas, vai melhorar bastante. Vai sobrar dinheiro e as mães de família vão ficar feliz”, disse.

Quem também não esconde a felicidade em ter sido uma das contempladas é a agricultora Raquel Severina (32), de Lagoa do Barro. “Faz cinco anos que resido em Lagoa do Barro e a gente está sem água, a sequidão é grande. A gente tá precisando muito dessas cisternas, e como estamos inclusas no projeto, estamos muito feliz”, disse.

As obras ficarão a cargo da Caritás, organização da Igreja Católica, que faz parte da Diocese de Caruaru. A entidade, que venceu a licitação para construção das cisternas, utilizará mão de obra local, beneficiando também a economia local. “Já estamos em fase de articulação, de planejamento para que da fato as coisas comecem a ser concretizadas já a partir da primeira semana após o carnaval”, destacou o coordenador da entidade, Otávio Vareda.

Ao assinar a ordem de serviço, o prefeito Diogo Alexandre destacou a importância da ação para a qualidade de vida das pessoas. “Essas 200 cisternas vêm mudar a vida dessas pessoas, resgatar a cidadania, fazendo com que famílias, que muitas vezes não têm sequer a oportunidade de tomar um banho em um chuveiro. Isso vem proporcionar uma melhora na qualidade de vida dessas famílias”, destacou o prefeito.

Ansiosa com o início das obras, a agricultora Raquel Severina já conta os dias parta ter água em sua casa. “Agora vai ter a cisterna e vai ter a água. Vai ser uma alegria imensa. Quando chegar vou inaugurar logo com um banho de chuveiro”, prometeu.

Reservatórios maiores – Além de proporcionar às 200 famílias beneficiadas a oportunidade de ter água em casa, a ação contemplará também as comunidades de Santa Luzia e Malhadinha. Os dois vilarejos, que não são abastecidos pela Compesa, receberão a construção de dois reservatórios maiores, com capacidade para mais de 50 mil litros.

“Nós conseguimos também, dentro desse projeto, contemplar a Vila Santa Luzia e Malhadinha. Isso vai proporcionar que as pessoas tenham água em casa, em suas torneiras, com mais qualidade. Vamos contemplar um abastecimento dificultoso e que muitas vezes proporciona transtornos”, finalizou o prefeito Diogo Alexandre.

Comentários